Grupo de Jovens Católicos Luz do Mundo

São Gabriel - RS

Início

Encontro

O Grupo de Jovens Católicos Luz do Mundo retornará com as atividades neste sábado, 18 de outubro de 2014, onde será realizado o Encontro na Comunidade São José, em frente ao Ginásio Chiappettão, à partir das 15hs. Todos estão convidados!

"Eis que eu faço nova todas as coisas." (C.f Ap 21, 5)

 

Todos contra o Aborto

Pe. Paulo Ricardo

padrepauloricardo.org

Agnus Dei

A Igreja

Um breve comentário

                     A Igreja é Una, Santa, Católica, Apostólica e Romana, Una porque é uma só, Santa porque vem de Deus, Católica porque é universal, Apostólica, pois seu início se deveu na época dos Apóstolos e Romana porque sua sede é em Roma, na Itália. A Igreja foi fundada por Jesus Cristo sobre Pedro quando ele revela na passagem Bíblica: “Por isso, eu te digo: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as forças do Inferno não poderão vencê-la.” (MT 16, 18). A Igreja Católica desde o seu início na era dos Apóstolos, até os dias de hoje sempre manteve a sua essência primeira, com o passar dos anos ela teve atualizações, através dos Concílios Ecumênicos, mas nunca foi dito que estava errada, ou que o passado deve ser esquecido, pois a Igreja não é uma obra humana, mas sim Divina.

                  O Santo Padre, o Papa, é Bispo de Roma e sucessor de Pedro, o primeiro Papa sobre o qual foi fundada a Igreja. Os Bispos são os sucessores dos Apóstolos e possuem os Padres como seus auxiliares. O Diácono é o Ministro Ordinário da Palavra de Deus, não podendo celebrar a Eucaristia, somente Bispos e Padres podem celebrar este Sacramento. A Igreja possui sete Sacramentos instituídos por Jesus Cristo, são eles: Batismo, Confirmação, Eucaristia, Penitência, Unção dos enfermos, Ordem e Matrimônio.

                   Com aproximadamente dois mil anos de existência, a Igreja possui a Bíblia Sagrada, que é a Palavra de Deus, a Tradição e o Magistério, estas fontes existem para que haja dentro da Fé Cristã Católica a estabilidade, pois elas se complementam. A Bíblia Católica possui setenta e dois livros, dentre eles: Tobias, Judite, Sabedoria, Baruc, Eclesiástico (ou Sirácida), 1 e 2 Macabeus, Também Ester 10,4-16, e o versículos de 24 a 90 do Capítulo 3 de Daniel, que se ausenta na bíblia protestante. A Bíblia foi escrita por diversas pessoas sob a inspiração do Espírito Santo, pela Fé acreditamos que a Bíblia é a Palavra de Deus, Deus utilizou da mão humana para transcrever as suas palavras em diversos pergaminhos que ao longo do tempo foram reunidos em único volume que hoje podemos ter em casa, no qual chamamos de Bíblia Sagrada, este livro não pode ser considerado um livro de história, geografia ou ciência, o seu objetivo é transmitir a Palavra de Deus a todos os povos, assim como aqueles que viveram no tempo dos Profetas, Apóstolos e até mesmo de Jesus Cristo. 

                   A Bíblia possui duas formas de interpretação, a Leitura fundamentalista e a Literal. A leitura fundamentalista da Sagrada Escritura interpreta tal como está escrito, linha por linha, sem retirar ou acrescentar nada ao que está escrito, porém esta leitura limita a visão humana, pois não devemos esquecer que quem emprestou a mão a Deus foram pessoas, então é claro que algo deixou de ser escrito ou foi escrito fora de ordem, ainda há pessoas que pensam que do céu desceu a Bíblia pronta e impressa, por essa falsa ideia, é mais usual o estudo da Palavra no sentido Literal ou Hermenêutico da Sagrada Escritura, que parte do princípio do que está escrito para aquilo que a Tradição e o Magistério da Igreja ensinam, ou seja, ir além da palavra escrita, adentrar as entre linhas da Escritura, obter conhecimento através do conhecimento histórico, da tradição, daquilo que pensadores da Igreja escreveram sobre tudo o que se sabe até hoje, constituindo o Magistério da Igreja. O pensamento literal nos permite viajar além da escrita e interpretar com Fé, pois só podemos compreender as Leituras Sagradas sob a ação daquele que a inspirou, o Espírito Santo.

                   A Tradição da Igreja Católica é o que não está escrito na Bíblia, mas foi transmitido oralmente através dos séculos, um exemplo é Verônica que segundo a Tradição enxugou o rosto de Jesus quando Ele estava indo em direção ao calvário para sua Crucificação e morte. Portanto a Tradição tem por finalidade nos aproximar de Deus como aqueles que viveram junto a Jesus no primeiro século. Somente a Igreja Católica possui uma tradição que começa no tempo dos Apóstolos, na sua fundação, pois é a única e verdadeira Igreja de Cristo.

                   O Magistério da Igreja concentra a verdadeira forma de compreender a Fé, onde se encontra o que ensina a Igreja, o Catecismo da Igreja Católica revela qual o sentido que devemos dar a vários acontecimentos sobre a vida, sobre a nossa existência, todo o Cristão deve seguir o que diz o Magistério da Igreja Católica. Afirma a Igreja que não somente na Escritura se baseia a Fé, mas da Tradição e do Magistério que também foram inspirados por Deus e são fontes seguras para compreender mais a Fé e se aproximar mais do Criador.

                   As Igrejas do mundo todo devem estar em comunhão com a Santa Sé e com o Santo Padre, o Papa, não podendo se desviar daquilo que manda a Santa Mãe Igreja, o seu Magistério, a sua Tradição.

            A língua oficial da Igreja Católica Apostólica Romana é o Latim, portanto pode-se ser utilizada a língua vernácula conforme a Constituição Sacrossanctum Concilium nº 36 e 54 que diz:

36. § 1. Deve conservar-se o uso do latim nos ritos latinos, salvo o direito particular.

§ 2. Dado, porém, que não raramente o uso da língua vulgar pode revestir-se de grande utilidade para o povo, quer na administração dos sacramentos, quer em outras partes da Liturgia, poderá conceder-se à língua vernácula lugar mais amplo, especialmente nas leituras e admonições, em algumas orações e cantos, segundo as normas estabelecidas para cada caso nos capítulos seguintes.

§ 3. Observando estas normas, pertence à competente autoridade eclesiástica territorial, a que se refere o artigo 22 § 2, consultados, se for o caso, os Bispos das regiões limítrofes da mesma língua, decidir acerca do uso e extensão da língua vernácula. Tais decisões deverão ser aprovadas ou confirmadas pela Sé Apostólica.

§ 4. A tradução do texto latino em língua vulgar para uso na Liturgia deve ser aprovada pela autoridade eclesiástica territorial competente, acima mencionada.

 54. A língua vernácula pode dar-se, nas missas celebradas com o povo, um lugar conveniente, sobretudo nas leituras e na «oração comum» e, segundo as diversas circunstâncias dos lugares, nas partes que pertencem ao povo, conforme o estabelecido no art. 36 desta Constituição.

Tomem-se providências para que os fiéis possam rezar ou cantar, mesmo em latim, as partes do Ordinário da missa que lhes competem.

Se algures parecer oportuno um uso mais amplo do vernáculo na missa, observe-se o que fica determinado no art. 40 desta Constituição.

                   A partir do ano 300 d. C., a língua oficial da Igreja se tornou o Latim, pois até então não se tinha uma unidade, era um tempo de perseguição, a Igreja não podia aparecer diretamente em público, era o tempo da celebração nas catacumbas, porém no ano de 313 d. C. o Imperador Constantino outorgou a liberdade religiosa pelo Edito de Milão e em 380 d. C., quando o Imperador Teodósio se converteu ao Cristianismo e foi batizado, uns dez anos depois, o Cristianismo tornou-se a Religião oficial de Roma, enfim a Igreja Católica pode se mostrar ao mundo sem ser oprimida.

                   Além do tempo que a Igreja utiliza a língua latina, o motivo pela conservação também é a tradução, pois quando se traduz um texto original muitas vezes perde-se a essência, ou contradiz o que está escrito, pois no Latim uma palavra tem um significado, porém em outras línguas uma única palavra pode ter vários significados e conceitos, nesse sentido de conservar o latim a Igreja está correta, pois é a prova de uma obra instituída por Cristo, tem dois mil anos aproximadamente, por isso tem uma Tradição, um Magistério, uma coerência.

                   A Igreja tem um caráter Santo e pecador, é Santa porque foi instituída por Deus e pecadora, pois seus membros são pessoas humanas. O Cristo é a cabeça, a Igreja é o Corpo e nós somos os membros, “²²Deus pôs tudo debaixo de seus pés e o constituiu acima de tudo, como cabeça da Igreja, ²³que é seu Corpo, a plenitude daquele que se plenifica em todas as coisas.” (Ef. 1, 22-23).

                   A Celebração da Santa Missa é o ponto central de toda a Fé Cristã, é através dela que escutamos a Palavra de Deus e celebramos a Eucaristia que é ápice e base da Fé Cristã Católica, todos os Cristãos devem participar, pois é o ponto máximo de toda a Igreja, é através dela que nos alimentamos tanto da Palavra quanto do próprio Corpo e Sangue de Cristo. A Santa Missa só pode ser Celebrada pelo Bispo ou pelo Padre, na ausência destes a partir do Concílio Vaticano II, a Igreja autorizou a Celebração da Palavra a Diáconos e Leigos, que são chamados Ministros Extraordinários da Eucaristia que podem distribuir o Corpo de Cristo, porém não podem consagrá-lo, a Celebração da Palavra não pode substituir a Santa Missa, somente em casos extremos de deslocação. A Missa é uma só, é única, indivisível, só acontece quando celebrada a Palavra e a Eucaristia.

Por: Luciano Vernieri      

JMJ

 Oração da JMJ Cracóvia 2016

“Deus, Pai misericordioso que revelastes o Vosso amor no Vosso Filho Jesus Cristo e o derramastes sobre nós no Espírito Santo Consolador, confiamos a Vós hoje o destino do mundo e de cada homem.” Pai Celestial, concedei que possamos dar testemunho de Vossa misericórdia. Ensina-nos a transmitir a fé aos que estão em dúvida, a esperança aos que estão desanimados, o amor aos que se sentem indiferentes, o perdão aos que erraram e a alegria aos que estão descontentes. Permiti que a centelha do Vosso amor misericordioso acesa em nós torne-se fogo que transforma corações e renova a face da terra. 

Maria, Mãe de misericórdia, rogai por nós. São João Paulo II, rogai por nós.

Sábado, 15 de março de 2014, foi ordenado o Diácono Cléber Eduardo dos Santos Dias à Ordem do Presbiterado. Agradecemos a Deus por essa vocação e rezemos.

Cristo Jesus, nosso irmão e amigo, cumprimos a tua ordem de rezar, para que tenhamos sempre muitos e bons jovens líderes, pais e educadores, religiosos e religiosas, diáconos, padres e bispos.
“Envia operários a tua messe”, assim nos disseste. Precisamos deles. Eles nos darão o ensino de tua palavra, a alegria de tua presença, o auxilio de tuas graças e o estimulo para nossas vidas.
Reconhecemos que a semente da vocação, que vem de ti, exige que a cultivemos em nós mesmos, na família, no grupo, na comunidade e nos seminários. Escuta-nos, ó Cristo, por meio de tua e nossa Mãe, para a glória do teu nome e para o nosso bem, no tempo e na eternidade. Amém.

Confira as fotos da Ordenação

Créditos das Fotos: Augusto Solano Lopes

 

 "Orai sem cessar." (1Ts 5, 17)

O Grupo de Jovens Católicos Luz do Mundo retorna com os seus encontros aos domingos, o local é na Comunidade São José, em frente a praça do ginásio Chiappettão, esperamos você para rezar, cantar e louvar a Deus.

Participe!

Papa

Rezemos pelo Santo Padre pelo seu primeiro ano de Pontificado. 13 de março de 2013 - 13 de março de 2014

 

Filme sobre a Santa Missa vale a pena assistir, pois remonta verdadeiramente o que acontece durante a Celebração da Santa Missa.


Perseverança no Calvário
 Perseverança durante o Cavário Diário - Luciano Vernieri

Leia a Pregação

 

Jesus Orando

"Deus está a uma Oração de distância."

 Falar com Deus é como conversar com um amigo, não precisamos ser grandes místicos da Oração para poder contemplar à Deus, basta-nos chegar diante dele e dizer: Meu Deus não sei rezar, me ensine como fazer a Oração. Certamente no momento em que estamos diante dEle, Ele mesmo nos concede por meio da Graça as palavras da nossa Oração, os meios para chegar até Ele de forma verdadeira, se não consegues falar nada para Deus apenas pense nEle, em tudo o que Ele fez e faz por você e por mim, pois pensar em Deus já é Oração.

Por: Luciano Vernieri

 

Evangelii Gaudium

1. A Alegria do Evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus. Quantos se deixam salvar por Ele são libertados do pecado, da tristeza, do vazio interior, do isolamento. Com Jesus Cristo, renasce sem cessar a alegria. Quero, com esta Exortação, dirigir-me aos fiéis cristãos a fim de os convidar para uma nova etapa evangelizadora marcada por esta alegria e indicar caminhos para o percurso da Igreja nos próximos anos. (Francisco, Papa, Evangelii Gaudium, nº 1)

topo